quarta-feira, 30 de novembro de 2016

Quem ainda não me segue no Instagram, que faça 30 agachamentos como castigo!





Vocês não estão bem a perceber a animação que estão a perder caso ainda não sigam o meu Instagram!

Tem conteúdos exclusivos! Com certeza!

Tem (mais) vídeos dos treinos com o Pedro.

Tem vídeos da minha mãe a fazer, imagine-se!, bolos!

O que é que o meu Instagram não tem?

É ir carregar no botão "Seguir" para descobrir... AQUI!


terça-feira, 29 de novembro de 2016

PT-falante




Estou a ver que esta coisa de ter um personal trainer tem muito mais que se lhe diga! 
Neste momento, sinto que estou numa relação e, como tal, tenho que lhe ser fiel a 100% e tenho de o ser para lá das nossas duas sessões semanais.
Ou seja, se lhe digo que estou a fazer dieta, estou MESMO a fazer dieta.
Se lhe digo que estou a ter cuidado com o que como, estou MESMO a ter cuidado com o que como... Enfim, já perceberam a ideia...

Claro que isso é uma coisa boa. Então, não é?
Caramba, mais uma "amordaça" para aquilo que tenho mais dificuldade em fazer!
Trinta agachamentos? Vá, faço quarenta e é só porque estou com pressa.
Trinta minutos de bicicleta? Vá, faço cinquenta e é só para não ocupar as máquinas demasiado tempo.
Agora, ponham-me um croquete à frente, e a coisa muda de figura. Aí, tenho mesmo de me controlar. Aí, sim, a Jedi em mim tem de vir ao de cima e controlar a vontade (parva) de devorar o croquete. 

Hoje em dia, tenho a vozinha (e uso o diminutivo não por o Pedro ter uma voz à guarda-redes Ricardo, mas sim porque nessas alturas o imagino como uma espécie de grilo-falante. Assim de chapéu de cano alto e empoleirado ao meu ombro) do meu excelentíssimo PT em modo "on" sempre que admiro algo que, se calhar dantes, ainda era tido como certo dentro do meu estômago. Agora faço só isso: admiro. 

Claro, 21 quilos não se perdem sem restrições e no último ano fiz muitas, mas agora tenho ainda mais cuidado. Quando até posso querer vacilar a qualquer momento, ainda por cima no meu trabalho há sempre motivos para comer o que não se deve!, penso logo "O Pedro não aprovaria". E sigo caminho para algo que não me faça mal (tipo uma folhinha de alface ou assim!).

Catarina


segunda-feira, 28 de novembro de 2016

Daquelas coisas parvas:


... já não me sinto a miúda roliça de antigamente;



... ainda não me sinto em forma o suficiente para não ser "a gorda" no ginásio.

Catarina

domingo, 27 de novembro de 2016

Estou muito orgulhosa!



Caramba! Que orgulhosa que estou de mim. 

Na sexta-feira passada, a tal da Black Friday, por questões de trabalho fiz-me a Lisboa de metro! Deixei o meu bólide onde a EMEL não brilha e lá fui eu, provavelmente até à estação mais funda de todas (não digo qual para os senhores da EMEL não ficarem com ideias!) e, não só sobrevivi ao acto de andar de metro (para mim foi black Friday por causa disso! Eita, estação funda e escura!!) como subi TODOS os degraus "pedonalmente" e… sem ficar com os bofes de fora.

Caramba! Que orgulho! Não só me recusei a "subir" pelas escadas rolantes como consegui aguentar a subida. A realidade é que quando cheguei ao topo é que me apercebi que já tinha acabado. E estava calminha. O coração apenas ligeiramente acelerado, a respiração um tudo-nada alterada, mas só isso. Nada de desconfortos, nada de precisar da bombinha da asma porque “ai-meu-Deus-que-se-me-morro-aqui”… nada disso.


De facto, esta mudança de vida está a ser muito mais do que visual. Esqueçam isso. O importante mesmo é a minha saúde e, caramba!, fiquei tão orgulhosa deste corpo! Caramba!

Catarina

sábado, 26 de novembro de 2016

Abanar o esqueleto #4

Aqui há uns anos, concretizei uma das minhas viagens de sonho: fui até Marrocos. E fui no sentido demorado e profundo. Estive lá duas semanas, percorri quilómetros e quilómetros e, entre outras coisas, trouxe os ritmos marroquinos comigo.

A artista que aqui vos deixo hoje, Hindi Zahra de seu nome, tem esses ritmos, mas, também, um pouco de Europa. Afinal, cresceu em França.


Espero que gostem! Com esta música o esqueleto é para abanar mais devagarinho, mas também se abana, pois com certeza!



Bom fim-de-semana.

Catarina

sexta-feira, 25 de novembro de 2016

Not sure...



Esta dicotomia é tão verdade... Já dei por mim a cancelar tanta coisa por ter que ir ao ginásio. E nem é por mal, claro. A realidade é que eu TENHO de ir ao ginásio. Nem que seja só ir fazer meia hora de passadeira, nadar umas piscinas, enfim... TENHO de ir. É tão certa para mim essa rotina como tomar o pequeno-almoço todas as manhãs. Até posso não conseguir almoçar ou jantar, mas o pequeno-almoço é sagrado. Tal qual ir ao ginásio.

Como devem calcular, já dei por mim a ter que reagendar muito da minha vida para, por exemplo, apanhar as minhas aulas favoritas ou fazer a sessão com o PT. É uma valsa diária e, pelo si, pelo não, o saquinho do ginásio está sempre a postos. Na realidade, ir ao ginásio, fazer exercício físico, sentir aquele dorido depois dos treinos, são o meu "happy place", por isso "cortar" nas outras coisas é fácil. 

Mas a realidade é que já dei por mim a pensar nisto: "será que não tenho vida porque estou sempre no ginásio? Ou vou para o ginásio porque não tenho vida?" ;)

Catarina


quinta-feira, 24 de novembro de 2016

Jedi in training por aqui, pessoal!

Se este blog deve o seu nome a um elemento de uma saga, saga essa que é o Star Wars, não se espantem se, de vez em quando, eu falar dela por aqui.

Assim, é com grande tristeza que vejo nomes, que não o meu, a serem chamados para fazerem parte de todos os spin-offs que por aí andam.

Camandro, Disney e LucasFilm! Então anda aqui uma pessoa a treinar para ser Jedi, e nem é consultada se quer fazer parte ou não destes filmes? Como assim?

Isto tudo porque surgiu mais um nome para o spin-off sobre Han Solo, e, desta feita, a escolhida foi Emilia Clarke, a já por si famosa rainha dos dragões de A Guerra dos Tronos.
E eu, pessoas?
Vá, não fiquem tímidos. Deixo-vos aqui (mais) um vídeo dos treinos com o Pedro para verem do que esta menina é capaz. Fica a dica!




Catarina

quarta-feira, 23 de novembro de 2016

Imagens que valem quilos de palavras

Já aqui vos falei várias vezes da importância das pessoas numa mudança de vida. Sem a ajuda dos outros, é ainda mais difícil acabar com vícios antigos e errados.

A Paula é, provavelmente, uma das amigas mais queridas que tenho. Acho que é seguro dizer que é das pessoas que conheço há mais tempo... para aí desde a segunda classe. Ela e a família são tão boa gente, gosto tanto deles que os sinto meus (são meus!), apesar de estarem para lá da fronteira deste nosso país.
Mas a Paula, incansável como só ela, e, ainda por cima, especialista em fitness e coisas saudáveis (com canudo incluído, não é cá especialista de aspas aéreas!), tem sido a minha mentora maior. Sempre que me fui abaixo, ela, à distância de um chat de Facebook, enviava-me energias positivas. Energias e… esta imagem:


Dois quilos de gordura versus dois quilos de músculo.

Escusado será dizer quer esta imagem está guardada no meu smartphone; que está no ambiente de trabalho do meu PC e que olho para ela constantemente. Não fazia ideia que a gordura também era isto. Que dois quilos de gordura eram assim tão vastos. Que eram assim tão feios. E que não perder dois quilos não queria necessariamente dizer que não tinha perdido volume.

Como agora, houve uma altura em que não perdia peso. Mas a realidade é que a roupa continuava a “alargar”. Esta imagem explica porquê, certo? Era quase como aquela velha adivinha: o que pesa mais: dois quilos de penas ou dois quilos de chumbo? Só que, aqui, o volume é tão importante que atrevo-me a dizer que muda o final da adivinha.

O que pesa mais? Dois quilos de gordura ou dois quilos de músculo?
A todos os níveis (moral, físico, saudável, psicológico), pesam (muito) mais dois quilos de gordura que dois quilos de músculo.

Obrigada, Paulinha. Por isto e por tantas outras coisas! <3


Catarina

terça-feira, 22 de novembro de 2016

Casório à vista = boca fechada



E se me faltassem motivos para continuar na luta por um estilo de vida saudável, vulgo, perder peso, este fim-de-semana recebi mais um.

Uma das minhas melhores amigas, que foi das primeiras pessoas que conheci há 13 (!) anos na Faculdade de Letras de Lisboa, vai casar em Julho do ano que vem!

A temática será praia e, dado que o calor até o pede, estou a imaginar que o vestido que vou levar tenha que ser “levezinho” e que, também eu, esteja já (mais) “levezinha”.

Obrigada ao noivo, por ter pedido a noiva em casamento e, assim, me darem mais uma razão para manter a boca fechada!

E tenho a certeza que vocês vão ser tão felizes…


Catarina

segunda-feira, 21 de novembro de 2016

A Força de um "Porque é que não hás-de conseguir?"

Começo por dizer que, nunca, jamais, em tempo algum eu daria para ser personal trainer de quem quer que fosse, muito menos minha personal trainer. Sou uma pessoa muito pouco paciente… e, algo negativa também, por sinal…

O Pedro é um santo. Vá, tem paciência de santo, pelo menos.

“Agora vais saltar à corda”, diz-me ele já a caminho de uma corda.

Resposta imediata da minha pessoa: “Não.”

E não era um “Não” do género “Ai, não, que as mamas se me saltam para aqui e é uma canseira.” Nah, eu saio a pai. Nesse campo, estamos conversados.

Não foi um “Não” do género “Olha agora querem ver que voltei a ter 10 anos para andar a saltar à corda?” De todo. Tenho em mim uma criança de 1,83 de altura. Também estamos conversados nesse campo.

A realidade é que eu ACHAVA que não conseguia saltar à corda. Pelo peso do corpo, pelo peso da idade, pelo peso de anos de sedentarismo, pelo peso… do peso.

Mas, alvíssaras!, a persistência do Pedro que, com uma simples pergunta (“Porque é que não hás-de conseguir saltar à corda?”), arrasou com as minhas teorias e me provou que… eu estava enganada. Não só consigo saltar à corda como, espanto!; admiração!; surpresa!... adoro.

Claro, estou ainda muito trapalhona. Os óculos atrapalham e a falta de jeito também. Ainda não voltei a ser aquela menina de 10 anos que almoçava a correr para, também a correr, ir para a rua saltar à corda. 
Ainda.
Espero um dia voltar a saltar à corda com uma perna às costas! Isso é que era um vídeo top para vos mostrar!


Por hoje, deixo-vos o meu regresso à infância: 




PS – Espero mesmo que Deus nosso senhor dê ao Pedro clientes menos casmurros que eu! E já agora “high five”, Deus, por me teres colocado um personal trainer que não desiste de mim no meu caminho!

Catarina

Hoje não apetecia... mas Let's go!


Outra das coisas boas de ter um personal trainer à nossa espera à hora marcada, é que temos um personal trainer à nossa espera à hora marcada...

Não soubesse eu que o Pedro estava à minha espera para treinarmos, bem que não me apanhavam de fato-de-treino... só de pijama até à hora de ir trabalhar... Ai pois não apanhavam, não!

Depois conto como foi...


Catarina

domingo, 20 de novembro de 2016

Não tenho culpa, onde quer que vá, há Star Wars em todo o lado... até no PortugalFit!


Foi muito giro, o PortugalFit. Pois que foi.
É muito bom ver que há tanta gente a praticar desporto, a ser activo! Esteve cheia a casa.

Entre amostras grátis, workshops, apresentações de culturismo, aulas e conhecer novos projectos, a realidade é que passei um dia bem passado! Ainda por cima, fui com uma das minhas melhores amigas e que é uma verdadeira companheiraça para estas coisas! Foi só riso e diversão.

Mas o melhor de tudo: tive o Biquíni Dourado da princesa Leia à minha frente.

Qual não foi o meu espanto quando, ao espreitar para o palco da Sala Tejo, vejo um C3PO e um R2D2 em cartão... "Alto lá!", pensei. 
Claro que tive de imediato que tirar uma fotografia com eles, afinal, até os levava na minha T-shirt... 



É verdade, há coisas do arco da velha.
Ali estava eu, com a minha T-shirt de Star Wars, a ir assistir a uma convenção de uma nova paixão minha, o fitness, com o meu objectivo de chegar ao Biquíni Dourado da Princesa Leia em mente e eis que me aparece à frente uma apresentação das mais variadas aulas de ginásio com instrutores vestidos de personagens da Guerra das Estrelas. Como devem calcular, tive ali um momento emocionante!

Assim que vi o Darth Vader chegar, depois uns stormtroopers, um Yoda gigante... enfim, comecei a achar que, se calhar, ia ver uma Leia... Mas longe de mim pensar que ia ver várias Leias vestidas com o meu Biquíni Dourado... Não tenho palavras mesmo.

Acho que é o Cosmos a dizer "Não desistas, miúda... O Biquíni Dourado está mesmo ali à tua frente."

E, pelo menos ontem, esteve!



Catarina

sábado, 19 de novembro de 2016

Abanar o esqueleto #3


Ironicamente, fui até ao Parque da Bela Vista, durante o Rock in Rio deste ano, para ver o Johnny Depp e os seus Hollywood Vampire. Mas dessa noite, mais do que os próprios cabeças-de-cartaz, quem trouxe comigo foram estes senhores. Rival Sons de seu nome.

Se tivesse uma banda, era assim. Música que apetece dançar agarrada ao microfone enquanto narramos do fundo da alma o amor funesto por todas as coisas e por coisa nenhuma.

Podia ter escolhido qualquer música deles, qualquer uma das que trago comigo no carro todos os dias, mas deixo-vos esta. Foi a ouvir esta que senti necessidade de enviar uma mensagem ao marido a dizer “Youtuba aí ‘Rival Sons’. Vais-te passar.” E ele passou-se. E agora passamo-nos em conjunto e estamos ansiosos que eles voltem cá ao burgo.


Desfrutem:

quinta-feira, 17 de novembro de 2016

Novo treino, novos vídeos e... canal de YouTube!


Já estou no YouTube!

Hoje o treino com o Pedro foi mais máquinas. E, como tal, deu para fazer uns vídeos giros. Assim sendo, claro que um YouTube Dourado tinha que chegar.

Confesso que a maioria destas máquinas, se não tivesse o Pedro ao lado, iria olhar para elas e o mais provável era magoar-me seriamente a tentar perceber como é que enfiava naqueles bichos de metal.

Espero que me sigam no YouTube, onde tenciono partilhar mais vídeos de treinos e, quem sabe, até receitas saudáveis!

Ora espreitem:





Catarina

(Por um) Portugal (mais) Fit





Sábado e domingo a MEO Arena vai receber o Portugal Fit e esta minha pessoa, que agora anda tão viciada nisto do "ser fit", não podia faltar!

Estou muito entusiasmada. Tenciono ir cedinho para aproveitar tudo e ver tudo com muita calma e ainda tenciono fazer uma aulinha ou outra!

Além de todo o fitness, que podem conhecer no programa, o Portugal Fit tem ainda um cariz solidário e o desafio é simples: fazer um vídeo com, por exemplo, 12 agachamentos, partilhar numa rede social e identificar com a hashtag #pôrportugalamexer. Por cada 30 vídeos ou 50 fotografias, o Portugal Fit compromete-se a oferecer uma aula de ginástica às três Aldeias SOS que existem em Portugal.

O meu vídeo podem ver aqui


Mais informações sobre o programa do evento aqui.
E podem conhecer o Facebook deles aqui.


Catarina

quarta-feira, 16 de novembro de 2016

Ó pra mim a treinar!


Hoje o dia começou cedo: 08h55 já estava a dizer "presente" ao Pedro, o PT que escolhi na Koobby, e com quem estou a treinar duas vezes por semana...  E para quê?

Para ele me pôr a fazer disto...


video

E disto...

video


Algumas considerações sobre estes vídeos:

1 - Nunca na vida pensei estar, qual amazona!, a dar ali umas chicotadas numas cordas...

2 - Tenho muita pinta a dar chicotadas nas cordas...

3 - Não gosto de correr!

4 - Mas o Pedro disse: "Vais correr um pouco para melhorar a capacidade do coração bombear sangue e melhorar a capacidade de oxigenação dos músculos. Assim, vais conseguir 'queimar' um pouco mais de gordura, pois o corpo utilizará como fonte principal a gordura utilizando-a como combustível"... As coisas que se aprendem com um personal trainer ao nosso lado...

5 - E vai buscar, gordura! Estás a sair de mim cá com uma pinta que nem sabes de onde vens!

6 - Claramente, já não sei correr! Ai eu! Além de corrida seguida, fizemos também corrida intervalada para, lá está, bombear a máquina. Essa parte confesso que gostei mais. Em passo rápido para um lado e a dar tudo a correr (vá, pensava eu - ler ponto 7) para o outro.

7 - Ainda bem que o Pedro filma os treinos, sei que da próxima vez que me desafiar a correr (que não seja para breve, por favooor!) vou querer passar outra imagem. Na minha mente, eu estava a dar tudo e não entendia porque é que ele me gritava "Mais rápido!" Pois... De facto, estava um pouco em "slow motion". Parecia um pouco um ponta-de-lança mandrião assim encostado à baliza à espera que lhe passassem a bola para marcar golo! Não pode ser. 


8 - Treinar com alguém a puxar por nós não tem igual. Estou encantada, de verdade. Por muito que eu mande vir com o treino (que mando!) o raça do homem tem jeito para a coisa, que é que se pode fazer?

9 - Amanhã há mais... ai ai!

Catarina

terça-feira, 15 de novembro de 2016

Ainda dos ossos...


Esta NÃO sou eu! 
Para aí no meu quinto mês seguido de perda de peso, durante o banho no balneário depois de uma aula de Zumba, comecei a sentir um alto debaixo do pescoço.
Pensei logo: “Claro que agora que estou a tentar ser saudável, andam-me a nascer cenas esquisitas, pois claro.”
Lá apalpei, e reapalpei e, qual não foi o meu espanto quando, do outro lado do pescoço, tinha outro “alto” igual.
“Ó Diabo”, pensei.

Por não ser eu a pagar a conta da água nem do gás, demorei-me mais um pouco até que se fez luz (que também não sou eu a pagar): o que eu estava a sentir, o que eu estava inequivocamente a apalpar… eram os meus ossos…

Claro que eu não fazia ideia que era “normal” sentir os ossos. Nunca parei para pensar muito nisso. Para mim, o natural era sentir algo entre a pele e os ossos. Uma camada de gordura, com certeza. 

Foi naquele banho que senti que o meu corpo estava a mudar. Já não era só a roupa mais folgada que mo dizia. Era o próprio corpo também.
Agora, é raro o dia em que não me apalpe para sentir os ossos. São a minha garantia que, sim, está a funcionar. Devagar, mas continua a funcionar!


Catarina 

segunda-feira, 14 de novembro de 2016

"Faz mal aos ossos"



Mudar para um estilo de vida saudável não é pêra doce... Não é para nós, nem para a família...:

O marido até pode aceitar, mas a realidade é que ele não está de dieta, nem vai ao ginásio. Logo, não entende as dores, não entende a vontade de querer atacar o frigorífico e ainda me diz "Come à vontade que isso não engorda", referindo-se a uma fatia de bolo que sobrou.

A mãe acha que estou a passar fome. Que ainda me vou magoar no ginásio e ai de mim se me queixo de uma dor: "Passas lá demasiado tempo! Amanhã não vais!"

A avó é quem tem a reacção mais engraçada:
"Não podes perder mais peso."
"E porquê, vó?"
"Porque faz mal aos ossos", e sai da sala disparada, antes que eu argumente alguma coisa.


Catarina

domingo, 13 de novembro de 2016

Há dias assim... Deve ser por ser domingo...



Tenho pensado muito neste blog, e na razão que tive para o criar. Na realidade, queria saber se haveria mais gente por aí a sofrer deste mal de ter que mudar de vida. Sim, eu até era feliz dantes. Comia o que queria e o máximo que fazia de exercício físico era umas longas caminhadas durante as férias, e pouco mais.

Agora, já li algures a melhor descrição possível para uma dieta: “É fácil: é como andar de bicicleta, mas o chão está a arder e tudo à tua volta está a arder porque estás a passar pelo Inferno.” É isto. Os últimos onze meses da minha vida têm sido isto. Uma eterna luta entre o que devo comer e o que me apetece comer. Entre o que me apetece fazer (ficar alampada em frente à televisão) e o que tenho de fazer (exercício físico), apesar de até ter descoberto que é uma enorme paixão, esta coisa de  ir ao ginásio.

Este blog, na realidade, devia ter outro nome. "Gorda anónima". Porque, na realidade, assim o serei para sempre. Para sempre terei que lutar entre aquilo que tenho de fazer e aquilo que quero fazer. Para mim, o mais difícil mesmo é a alimentação. Em podendo, comia de tudo. Eu como para ser feliz, não apenas como algo para sobreviver. Gosto genuinamente de comida, apesar de não gostar de tudo (não gosto de algo muito óbvio para toda a gente: chocolate).

Tenho andado muito pela blogolândia, e tenho visto todo o tipo de blogs, os que são de pessoas claramente fit de corpo, e os de pessoas claramente fit de mente. Todas se sentem bem consigo mesmas. Eu não era assim.

Sempre tive excesso de peso e nunca me senti mal por isso. Mas nos últimos tempos, a palavra “gorda” passou a fazer tanta parte da minha vida, que me fartei. Qualquer queixa que eu tivesse, para qualquer especialidade médica (quer fosse asma, problemas de pele, dores menstruais, o que fosse), a causa era sempre a mesma: "és gorda, menina".

OK. Vamos então contrariar isso. Vamos então não ser gorda no corpo, ser só na mente. Vamos então ver o que acontece. Sim, pelo menos da asma sinto-me melhor. Mas há coisas que continuam, apesar dos 21 quilos a menos. Sei que ainda tenho excesso de peso, vá, sou GORDA. A minha frustração agora é mesmo uma, e só uma: Ora bolas, já que estou a andar de bicicleta neste Inferno, pelo menos que me traga algo de diferente, não? Ou melhor, que me leve. Que me leve o excesso de peso. Que me deixe ter o peso que é suposto ter com esta altura para testar o que daí pode vir. 

Desde Agosto que não perco peso. E agora é o momento-chave. Aquele momento em que, das duas uma, ou vai ou racha. Daí ter pedido a ajuda a um personal trainer. Daí ter pedido ajuda a todos vocês que me lêem.


O meu objectivo É o Biquíni Dourado da Princesa Leia.
Mas o meu objectivo também É não desistir.

Conto convosco aí desse lado,


Catarina

sábado, 12 de novembro de 2016

Abanar o esqueleto #2


Já me decidi que, ao sábado, vai ser dia de música aqui neste cantinho à beira-blogspot plantado.
Ela está sempre presente nos meus treinos e é também uma grande motivação para dar o meu melhor.

Estes senhores que vos deixo aqui hoje, conheci no NOS Alive deste ano e, desde então, têm-me acompanhado praticamente para todo o lado. Esta música em particular ouço-a em "loop" na minha meia hora de caminhada diária. Sinto que vou conquistar o mundo quando a ouço. Que vou conquistar a maldita passadeira! Gosto tanto deles! 

Senhoras e senhores, os espanhóis Vetusta Morla:

sexta-feira, 11 de novembro de 2016

What a difference a personal trainer makes...

Aqui há um mês conheci o personal trainer Pedro Miranda que, além de ser um grande benfiquista como eu, é o fundador da Koobby, plataforma em que podemos "reservar" um personal trainer.

Lá está, talvez por ser lampião ou por, como eu, ter bichos-carpinteiros e não conseguir estar parado e ter sempre ideias a borbulhar, a realidade é que nos demos logo bem.
Ao contrário do PT que me havia calhado em sorte no ginásio, que mais me parecia ser alguém a quem um corpo gordo como o meu lhe causava repulsa, o Pedro olha para mim e vê potencial. Vê potencial para eu mudar e, claro, com a ajuda (e paciência) dele.

A realidade é que, se na minha publicação anterior vos falei na resolução de cortar despesas em coisas banais, é porque resolvi investir mais na minha saúde. 
O facto é este: ainda tenho 20 quilos pela frente para chegar ao meu peso ideal. Para chegar ao Biquíni Dourado. É simples. 
Sim, já fiz algo de difícil, mas essa foi só a primeira metade. Na realidade, sinto que estou agora a começar do zero. E o Pedro chegou na hora certa.

Ainda foram poucos os treinos com ele, é verdade, mas a diferença de ter alguém ao nosso lado a puxar por nós, a desafiar-nos, a querer o nosso sucesso tanto ou mais que nós, bem… já estão a ver onde quero chegar...

Além de todo o incentivo e conhecimento do corpo humano que me tem dado, o Pedro também vai filmando e fotografando os exercícios que faço, que podem acompanhar no seu Instagram e no meu. Assim, posso ver-me a fazer os exercícios. Faz toda a diferença.

Já me disse que, primeiro, vamos para o triquíni. Mas o nosso objectivo juntos é mesmo o de chegar ao Biquíni Dourado!

Em acção! Oh Yeah!



PS – Calminha, que isto não é só flores! Dois dias depois do nosso primeiro treino eu parecia uma tartaruga de barriga para cima a tentar sair da cama de tanta dor que tinha! Raça do homem mais os seus agachamentos e burpees e o camandro!


Catarina

quinta-feira, 10 de novembro de 2016

No poupar está a perda... de peso!


Uma das minhas mais recentes decisões tem que ver com a compra de roupa e acessórios.

Se, aqui há uns meses, ansiei para chegar a este número pouco redondo dos 21 quilos perdidos (sempre foi a minha primeira meta), a realidade é que, agora cá, quero perder mais. Daí esta minha resolução. Onde se começa, desde logo, a perceber que estamos a perder peso, nem é tanto na nossa imagem ou no nosso corpo, mas sim… na roupa. Na imagem e no corpo parece existir ali uma barreira psicológica que é ultrapassada com a ajuda da roupa.

Foram centenas de quilos de roupa doados/deitados fora/relegados para casa da mãe por já estarem em modo “se usar isto vai cair ou vai parecer que estou a usar um saco do lixo gigante”.

Assim, a minha resolução faz todo o sentido. Convenhamos, comprar uma peça de roupa agora, para depois daqui a uns meses, haja dieta!, a ter que deitar fora, é estúpido. E os acessórios, se pensarmos em anéis, por exemplo, também faz todo o sentido “abolir” da lista de compras.

Claro, tem sido difícil, até porque ADORO roupa, mas vejo isto como uma maneira de conseguir juntar uns troquinhos extras para, por exemplo, ter alguém que me ajude nos treinos. Porque não? E assim, é mais um incentivo para me “despachar” com esta dieta malvada para ir estourar o cartão a uma loja qualquer. Com certeza!

E não pensam que ando nua aí pela rua agora! A minha querida mãe foi-me guardando roupa desde a minha adolescência, por isso, tenho muita, muita roupa para usar nesta fase! 


Termino com esta notinha positiva esta publicação: Comecei o ano a usar o tamanho 20 (na Primark, por exemplo), e por vezes nem o 20 servia. Já  me consigo fazer caber dentro de um tamanho 14… 

Catarina

quarta-feira, 9 de novembro de 2016

Mens sana in corpore sano? É ir ao teatro!

Se este é um blogue a caminho de um corpo saudável, temos que o ser em pleno, ou seja, “Mens sana in corpore sano”. Assim, não se espantem de encontrar por aqui também sugestões de leitura, exposições, concertos e… peças de teatro.

Esta que vos falo hoje mexeu tanto comigo que nem sabia bem por onde sair do teatro. Senti que tinha entrado numa cápsula do tempo e que tinha estado ali. Perante um dos meus heróis de infância: António Variações.

“Variações, de António”, que estará em cena na tenda do Chapitô até dia 26 de Novembro, é como se entrássemos nos anos 80, numa Lisboa cheia de variações e do Variações. Um herói nacional que há muito já merecia esta homenagem. Se calhar, chega só agora e em boa hora. Afinal, teve a sorte de ter um texto de Vicente Alves do Ó e de ser interpretado (diria mais, vestido com a pele, abraçado, acarinhado, encarnado, ressuscitado) pelo grande actor que é Sérgio Praia, ele que foi uma surpresa, e que me fartei de procurar em cena, mas só vi o outro ele, o António Variações.

Se estiverem em Lisboa, não percam a oportunidade de conhecer as dicotomias por trás de um homem tão cheio como foi este nosso António e que, vai-se a ver, também era todo fã de fitness como eu agora também estou! Há coisas do arco da velha! Ainda lhe lancei um piscar de olhos, onde quer que ele estivesse durante a peça...


Se quiserem saber mais informações, deixo-vos aqui o link.

Catarina

terça-feira, 8 de novembro de 2016

"O" Biquíni Dourado existe!


Claro que, fanática de "Star Wars" que sou, já comecei por essa Internet fora à procura de objectos com o Biquíni Dourado da Princesa Leia, ou não fosse o nome deste blogue inspirado nisso.

Assim, lá fui eu até ao eBay e posso-vos dizer uma coisa: claramente está a gozar comigo, o site. 
Procurando "Leia slave", esperei encontrar bonecada, pins, quem sabe até um peluche, mas o que o eBay mais me mostra é disto:





Pronto, ele já está à minha espera. "O" Biquíni Dourado. E há muitos. Muitos, muitos!

Por enquanto, ainda só me acho capaz de usar isto:


O que acham?

Mas ele existe, meninas! Haja dieta para fazer! 

Catarina

segunda-feira, 7 de novembro de 2016

Ajuda inesperada




Sem querer, vocês que me estão a ler aí desse lado, já me começam a ajudar na parte mais difícil desta minha mudança de vida: a fechar a boca.

E não, não é a filtrar os disparates que digo. Esses são do mundo e, quando estão cá fora, já não há nada a fazer! Estão, sim, a ajudar-me a fechar a boca naqueles momentos em que, qual máquina debulhadora, só me apetece devorar tudo o que me aparece à frente. 
Quando me dá uma dessas "ganas", agora penso: "Não posso defraudar os meus leitores", e tiro rapidamente a ideia do meu estômago e pego num papel e numa caneta para escrever textos que espero, um dia, partilhar aqui convosco (espero perceber a minha letra na altura. É que entre os meus gatafunhos normais e a ânsia de esquecer aquele consolo de alma, a minha letra está cada vez mais ilegível).

Por isso, obrigada, boas gentes, por estarem aí desse lado! Com vocês aí estes afrontamentos estomacais estão mais suportáveis de tolerar!


Catarina


domingo, 6 de novembro de 2016

Desafio 30 dias de abdominais

Lá porque hoje é domingo, são se neguem a fazer exercício físico. Para mim, independentemente do dia, tenho um objectivo: 30 dias de abdominais, "leg raises" e "planks".

Começou por ser um desafio pré-Verão, mas, por várias razões, parei ainda em Julho. Recomecei há 15 dias e... já só falta metade! Vou em 85 abdominais; 34 leg raises e 80 segundos de planking. 
Faço sempre quando chego a casa e, acreditem, chego sempre a horas pouco decentes, por isso, não têm desculpa. 
É arranjarem um tapete de ioga e toca de se esticarem no chão todos os dias. Vão ver que vão notar diferenças. Nem que seja que o abdominal (sim, acho que ainda só tenho um do tamanho da barriga...) fica mais rijo, não estejam é à espera de ficar com um six-pack todo definido!

Deixo-vos a listagem para imprimirem e... serem felizes enquanto o fazem. 

'Bora lá, gente! Só custa imprimir porque gasta papel e tinteiros!

Clicar na imagem para aumentar


Catarina

sábado, 5 de novembro de 2016

Beijem o céu, boa gente!


Gosto tanto, tanto, tanto, tanto, tanto, tanto, tanto, tanto, tanto, tanto, tanto, tanto, tanto, tanto, tanto, tanto, tanto, tanto, tanto, tanto, tanto, tanto, tanto, tanto, tanto, tanto, tanto, tanto, tanto, tanto, tanto, tanto, tanto, tanto, tanto, tanto, tanto, tanto, tanto, tanto, tanto, tanto, tanto, tanto, tanto, tanto, tanto, tanto, tanto, tanto, tanto, tanto, tanto, tanto, tanto, tanto, tanto, tanto, tanto, tanto, tanto, tanto, tanto, tanto, tanto, tanto, tanto, tanto, tanto, tanto, tanto, tanto, tanto, tanto, tanto, tanto, tanto, tanto, tanto, tanto, tanto, tanto, tanto, tanto, tanto, tanto, tanto, tanto, tanto, tanto, tanto, tanto, tanto, tanto, tanto, tanto, tanto, tanto, tanto, tanto, tanto, tanto, tanto, tanto, tanto, tanto, tanto, tanto, tanto, tanto, tanto, tanto, tanto, tanto, tanto, tanto, tanto, tanto, tanto, tanto, tanto, tanto, tanto, tanto, tanto, tanto, tanto, tanto, tanto desta música que só me apetece dançá-la a toda a hora!... Vá, ou pelo menos até segunda-feira! 

Bom fim-de-semana!




Catarina

sexta-feira, 4 de novembro de 2016

Seguradoras a ajudarem na dieta? Sim, sim.


Sim, já fiz muitas. Tantas que já lhes perdi a conta. Porque é que esta dieta está a ser diferente? Duas palavras: Economicamente criativa.
É, não só a razão, como a alcunha que tenho lá por casa. O meu “namorido” surpreende-se com as matemáticas que eu faço para tentarmos poupar uns tostões ao fim do mês (um dia falo disso aqui) e, por essa razão, começou a chamar-me de “Economicamente criativa”. 
Assim, como devem calcular, fiquei pior que estragada quando, na altura da compra da nossa casa, recebemos a proposta de seguro de vida referente a cada um e, qual não é o meu espanto, vejo que o meu seguro (e só o meu) vinha com uma caução extra por culpa do meu… excesso de peso! 
Nem queria acreditar…
Basicamente, por ter excesso de peso podia sofrer de problemas cardíacos, hipertensão, diabetes, etc, logo, haveria mais probabilidade de morrer antes de pagar o que devo ao banco, lá está.
Conformada, mas não resignada, aceitei o seguro de vida pois não havia nada a fazer, certo?
Errado.
Aceitei o seguro de vida, sim. Mas houve algo que pude fazer. E foi o que fiz. 

Na última terça-feira do mês de Janeiro de 2016, fui à minha primeira aula de Zumba no ginásio. 
E foi aí que esta minha mudança começou.

Agora, só estou à espera de perder mais um bocadinho de peso para poder ir renegociar o meu seguro de vida. Quero estar “legalmente saudável” (mesmo que para isso me tenha que matar no ginásio).
Por isso, obrigada, seguradoras deste universo. Por serem umas idiotas e por me fazerem perder peso... e tudo porque não vos quero pagar mais €12 por mês. 
Economicamente criativa for the win! 


Catarina

quinta-feira, 3 de novembro de 2016

Organii Eco Market: eu digo "presente" e vocês?


Se este blog fala da minha mudança para um estilo de vida mais saudável, faz todo o sentido dar a mão a eventos como este, que vai acontecer na LX Factory já dias amanhã e sábado e que tive conhecimeno através da minha querida Fashion by Pio.

Trata-se do Organii Eco Market onde, segundo divulgado pela organização, teremos "workshops, palestras e showcookings, que nos darão a conhecer 70 projectos bio, eco e 100% portugueses".


Trata-se de uma acção em que a estrela serão os bons princípios e práticas ecológicas e que pretende mostrar que, ao sermos mais saudáveis, também damos um pouco mais de saúde ao nosso planeta. 
E, para ser saudável, já se sabe, a alimentação é a base, e quem for até à LX Factory poderá contar com opções vegetarianas, vegan ou macrobióticas, claro, confeccionadas com alimentos biológicos. Já me sinto a salivar!

Apesar de a entrada ser livre, a organização sugere a inscrição através do site www.organiiecomarket.com.

Juntem-se a mim naquele que será o primeiro evento de lifestyle exclusivamente biológico!
Deixo-vos o cartaz completo aqui:


Catarina

quarta-feira, 2 de novembro de 2016

Mas o que é isto?


Anda uma pessoa a matar-se no ginásio para ter um corpo de marca de iogurte, para depois chegar à H&M e deparar-se com a moda do oversized! Sinto-me um pouco desengomada...



terça-feira, 1 de novembro de 2016

É terça-feira, yeah!


Tenho 32 anos e sempre tive excesso de peso. Por isso, como devem calcular, iniciei muitas dietas ao longo da minha vida. Até agora, esta foi a primeira vez que consegui deitar tanto quilo fora. E acho que tudo se deve ao facto de ter começado a dieta a uma terça-feira.

Ora vejamos: sempre que alguém diz “vou começar uma dieta”, regra geral, essa frase vem a seguir a “Segunda-feira”. Ou seja, “Segunda-feira vou começar uma dieta.” Logo aí, temos um problema. A segunda-feira já é um dia de dificuldades por si só: é notório que o trânsito é sempre pior à segunda-feira de manhã; é o dia de todos os rebuliços e de todas as faltas de vontade em ir trabalhar, enfim… é SEGUNDA-FEIRA! Já é um dia tão difícil por si só que não precisamos mesmo de lhe espetar com o início de um novo estilo de vida!

A quarta-feira também é mau dia. Está ali a meio, nem é carne nem é peixe. É quase um dia “nim”. À quinta-feira já estamos em antecipação pela sexta-feira e à sexta já estamos em antecipação pelo fim-de-semana, onde reservámos um dos dias para o “dia do disparate”, por isso, “mais vale começar o disparate já hoje, que a vida são dois dias e eu tenho fome”. Assim, a terça-feira é uma espécie de Suíça dos dias da semana. Um dia neutro, sem tristezas ou alegrias de maior e, por isso, tão prático para começar um novo estilo de vida.


Já sabem, reservem a terça-feira para mudar de vida. Afinal, é quando a semana realmente começa. E que dia é hoje? Terça-feira! Bom começo de vida nova!

Catarina
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...